Transformação digital com foco nos desafios constantes é tema no My Inova Summit

Transformação digital com foco nos desafios constantes é tema no My Inova Summit

Mario Flores Neto trabalhou “O Estado da Arte dos Negócios na Era da Transformação Digital” como a dinâmica que desafia todas as organizações frente ao cenário disrruptivo e da nova economia digital. Neste contexto, a tecnologia exerce papel de grande relevância, como propulsora do crescimento e agilidade organizacional. Contudo, investir apenas na aquisição de tecnologia, sem a visão ampla e sistêmica dos principais desafios da Transformação Digital no ambiente corporativo, conduz, frequentemente a iniciativas frustradas e sem continuidade. Faz-se necessário, portanto, dedicar-se a conhecer os desafios mais recorrentes e como preparar-se para uma efetiva transformação sustentável.

Quais são as principais perguntas que as organizações fazem com relação à tecnologia. Como nós acompanhamos as mudanças? Estamos conseguindo acompanhar? O que se percebe é que deve ter envolvimento de toda a organização.

A tecnologia não é um fim, mas, sim, um meio. “Estamos acostumados a lidar com o controle para ter segurança, mas precisamos aprender a lidar com o desconforto e com as adversidades”, ressalta Flores Neto.

Vuca

Vivemos no “Universo Vuca”, ou seja, não conseguimos acompanhar a evolução tecnológica. O desafio é encarar de frente o novo cenário. A transformação digital passa a ser constante. Muitas empresas querem ir direto para o operacional e, na sequência não conseguem se sustentar. “O foco deve ser o usuário e, protagonizado pelas pessoas”, ressalta.

Andar em uma esteira 3D, com a leitura da pisada e anatomia do pé é uma realidade que promete a elaboração de calçados exclusivos para cada pessoa.

As pessoas não mais clientes e, sim, usuários, uma forma de encarar a construção de uma jornada de sucesso para quem é atendido. “Temos a capacidade de lidar com dados em tempo real para termos maior assertividade”, destaca o palestrante.

Trazer inovação hoje é essencial para todas as organizações e pessoas. “A inovação deve surgir dos diferentes setores dentro da empresa e, talvez seja prejudicial ter uma, ou duas pessoas específicas responsáveis por isso”, observa Flores Neto.

Conforme o palestrante a proposta é que tecnologia deve ser, cada vez mais de domínio de diferentes grupos. A velocidade das transformações é maior e são desafios atuais.

ÚLTIMAS NOTICIAS